Estudo Apocalipse 1 – O Alfa e Ômega

Apocalipse 1.8

O livro de Apocalipse, capítulo 1, é o ponto de partida para uma das mais intrigantes e simbólicas narrativas da Bíblia. Este capítulo, escrito pelo apóstolo João, começa por descrever o autor como alguém exilado na ilha de Patmos, tendo tido uma visão extraordinária. Ele é ordenado a escrever as revelações que lhe são mostradas.

O capítulo 1 também introduz Jesus Cristo como a figura central da revelação. Ele é descrito como o “Alfa e Ômega”, o princípio e o fim, enfatizando Sua supremacia e eternidade. A imagem de Cristo glorificado é poderosa e impressionante, com Seus olhos flamejantes e uma voz poderosa, simbolizando Sua divindade.

Além disso, o capítulo menciona sete candelabros de ouro e sete estrelas nas mãos de Jesus, que são interpretados mais tarde como representando as sete igrejas da Ásia Menor. A mensagem às igrejas é um componente essencial da revelação, oferecendo conselhos e advertências para cada uma delas.

O capítulo 1 também revela o propósito do livro: revelar eventos futuros e a consumação dos tempos. Ele prepara o leitor para a jornada espiritual e profética que está prestes a se desenrolar nas páginas subsequentes do livro de Apocalipse.

Em resumo, o capítulo 1 de Apocalipse serve como um prólogo fascinante e enigmático para uma das partes mais enigmáticas da Bíblia, apresentando a visão de João, a importância de Jesus Cristo e o propósito geral da obra, sem entrar em detalhes específicos de versículos.

———

Apocalipse 1

¹ Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer e que ele, enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João,
² o qual atestou a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo, quanto a tudo o que viu.
³ Bem-aventurados aqueles que leem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo.
# Dedicatória às sete igrejas da Ásia
⁴ João, às sete igrejas que se encontram na Ásia, graça e paz a vós outros, da parte daquele que é, que era e que há de vir, da parte dos sete Espíritos que se acham diante do seu trono
⁵ e da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra.
Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados,
⁶ e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!
⁷ Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até quantos o traspassaram. E todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Certamente. Amém!
⁸ Eu sou o Alfa e Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso.
# A visão de Jesus glorificado
⁹ Eu, João, irmão vosso e companheiro na tribulação, no reino e na perseverança, em Jesus, achei-me na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus.
¹⁰ Achei-me em espírito, no dia do Senhor, e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta,
¹¹ dizendo: O que vês escreve em livro e manda às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia.
¹² Voltei-me para ver quem falava comigo e, voltado, vi sete candeeiros de ouro
¹³ e, no meio dos candeeiros, um semelhante a filho de homem, com vestes talares e cingido, à altura do peito, com uma cinta de ouro.
¹⁴ A sua cabeça e cabelos eram brancos como alva lã, como neve; os olhos, como chama de fogo;
¹⁵ os pés, semelhantes ao bronze polido, como que refinado numa fornalha; a voz, como voz de muitas águas.
¹⁶ Tinha na mão direita sete estrelas, e da boca saía-lhe uma afiada espada de dois gumes. O seu rosto brilhava como o sol na sua força.
¹⁷ Quando o vi, caí a seus pés como morto. Porém ele pôs sobre mim a mão direita, dizendo: Não temas; eu sou o primeiro e o último
¹⁸ e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno.
¹⁹ Escreve, pois, as coisas que viste, e as que são, e as que hão de acontecer depois destas.
²⁰ Quanto ao mistério das sete estrelas que viste na minha mão direita e aos sete candeeiros de ouro, as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete candeeiros são as sete igrejas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Salmos 71:1

Estudo Salmos 71 – Deus como Refúgio

O Salmo 71 é uma oração de confiança em Deus em meio às adversidades da vida. O salmista clama a Deus para que o proteja e o livre dos seus inimigos, que o perseguem e o acusam injustamente. Ele reconhece que somente Deus pode ser o seu refúgio e a

Salmos 55.22

Estudo Salmos 55 – O Senhor que nos sustenta

O Salmo 55 é um salmo de lamentação, onde o salmista clama a Deus por ajuda em meio à perseguição e traição de seus amigos. Ele começa descrevendo sua angústia e dor, pedindo a Deus que ouça sua oração e o salve de seus inimigos. O salmista expressa sua tristeza

Mateus 24.13

Estudo Mateus 24 – O Sermão Profético

No capítulo 24 do livro de Mateus, encontramos um discurso de Jesus conhecido como “O Sermão Profético”. Neste sermão, Jesus fala aos seus discípulos sobre diversos temas, incluindo a destruição do templo, o princípio das dores, a grande tribulação, a sua própria vinda e a necessidade de vigilância. Primeiramente, Jesus

Salmos 149.3

Estudo Salmos 149 – Hino de Louvor e Adoração a Deus

O Salmo 149 é um hino de louvor e adoração a Deus. Ele nos convida a exaltar o Senhor com alegria e celebrar seu nome com cânticos de louvor. O salmista nos encoraja a cantar um novo cântico ao Senhor e a se alegrar em sua presença. O salmo nos

Temas

  » Alegria

  » Amizade

  » Amor

  » Fé e Motivação

  » Felicitações

  » Liderança

  » Pais e Filhos

  » Paz

  » Provérbios

  » Reflexão

  » Salmos

Receba inspiração no seu Email

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial