Estudo Apocalipse 6 – O Destino do Mundo

Apocalipse 6.17

O capítulo 6 do Livro do Apocalipse é um dos trechos mais significativos e intensos da Bíblia, pois descreve a abertura dos primeiros seis selos que selam o destino do mundo durante os tempos do fim. O primeiro selo é um cavalo branco, simbolizando a conquista e a vitória. O segundo é um cavalo vermelho, simbolizando a guerra e o derramamento de sangue. O terceiro é um cavalo preto, representando a escassez e a fome. O quarto é um cavalo amarelo ou verde, indicando a morte e a pestilência. O quinto selo revela as almas dos mártires clamando por justiça. O sexto selo traz terremotos e catástrofes naturais de magnitude global.

Essas imagens apocalípticas têm sido interpretadas de várias maneiras ao longo dos séculos, com diferentes correntes religiosas e culturais encontrando nelas significados diversos. Alguns acreditam que o Apocalipse descreve eventos literais que ainda estão por vir, enquanto outros o veem como uma alegoria das lutas espirituais da humanidade.

Independentemente da interpretação, o Apocalipse 6 lembra a fragilidade da vida humana e a inevitabilidade da morte. Também destaca a importância da justiça e da perseverança diante das adversidades. É um capítulo que instiga reflexão e busca por significados profundos, fazendo com que as pessoas se questionem sobre o destino da humanidade e seu próprio papel na história da fé e do mundo.

———

Apocalipse 6

O Cordeiro abre os selos. O primeiro selo

Vi quando o Cordeiro abriu um dos sete selos e ouvi um dos quatro seres viventes dizendo, como se fosse voz de trovão: Vem!

Vi, então, e eis um cavalo branco e o seu cavaleiro com um arco; e foi-lhe dada uma coroa; e ele saiu vencendo e para vencer.

O segundo selo

Quando abriu o segundo selo, ouvi o segundo ser vivente dizendo: Vem!

E saiu outro cavalo, vermelho; e ao seu cavaleiro, foi-lhe dado tirar a paz da terra para que os homens se matassem uns aos outros; também lhe foi dada uma grande espada.

O terceiro selo

Quando abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizendo: Vem! Então, vi, e eis um cavalo preto e o seu cavaleiro com uma balança na mão.

E ouvi uma como que voz no meio dos quatro seres viventes dizendo: Uma medida de trigo por um denário; três medidas de cevada por um denário; e não danifiques o azeite e o vinho.

O quarto selo

Quando o Cordeiro abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizendo: Vem!

E olhei, e eis um cavalo amarelo e o seu cavaleiro, sendo este chamado Morte; e o Inferno o estava seguindo, e foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra para matar à espada, pela fome, com a mortandade e por meio das feras da terra.

O quinto selo

Quando ele abriu o quinto selo, vi, debaixo do altar, as almas daqueles que tinham sido mortos por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho que sustentavam.

10 Clamaram em grande voz, dizendo: Até quando, ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, não julgas, nem vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra?

11 Então, a cada um deles foi dada uma vestidura branca, e lhes disseram que repousassem ainda por pouco tempo, até que também se completasse o número dos seus conservos e seus irmãos que iam ser mortos como igualmente eles foram.

O sexto selo

12 Vi quando o Cordeiro abriu o sexto selo, e sobreveio grande terremoto. O sol se tornou negro como saco de crina, a lua toda, como sangue,

13 as estrelas do céu caíram pela terra, como a figueira, quando abalada por vento forte, deixa cair os seus figos verdes,

14 e o céu recolheu-se como um pergaminho quando se enrola. Então, todos os montes e ilhas foram movidos do seu lugar.

15 Os reis da terra, os grandes, os comandantes, os ricos, os poderosos e todo escravo e todo livre se esconderam nas cavernas e nos penhascos dos montes

16 e disseram aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós e escondei-nos da face daquele que se assenta no trono e da ira do Cordeiro,

17 porque chegou o grande Dia da ira deles; e quem é que pode suster-se?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Salmos 117.2

Estudo Salmos 117 – A Misericórdia de Deus

O Salmo 117 é um dos mais curtos da Bíblia, contendo apenas dois versículos. Apesar de sua brevidade, ele é extremamente significativo e poderoso, pois é uma expressão de louvor e adoração a Deus por todas as nações da terra. O salmista começa exortando todas as nações a louvar ao

Salmos 47:7

Estudo Salmos 47 – Deus é o Rei

O Salmo 47 é um hino de louvor e adoração a Deus, que exalta a sua soberania e poder sobre todas as nações da terra. O salmista começa exortando todos os povos a baterem palmas e aclamarem a Deus com vozes jubilosas, pois Ele é o Rei supremo sobre toda

Eclesiastes 10.10

Estudo Esclesiastes 10 – A Excelência da Sabedoria

No capítulo 10 do livro de Eclesiastes, o autor discute a importância da sabedoria e a tolice da estultícia. Ele compara a estultícia à mosca morta que estraga o perfume do perfumador, enfatizando como um pouco de estupidez pode comprometer a sabedoria e a honra de alguém. O autor também

Salmos 17.6

Estudo Salmos 17 – Súplica pela proteção divina

O capítulo 17 de Salmos nos traz uma mensagem de como devemos buscar profundamente a comunhão e proteção de Deus nas nossas vidas. Inicialmente, vemos uma súplica para que o Senhor ouça a oração do salmista (17.1). O momento de aflição era muito grande, e, inclusive, ele afirma não ter

Temas

Receba inspiração no seu Email

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial