Estudo Esclesiastes 3 – Tempo para Tudo

Eclesiastes 3.1

O capítulo 3 do livro de Eclesiastes oferece uma reflexão profunda sobre o tempo e os propósitos da vida humana. O autor começa destacando que há um tempo determinado para todas as coisas debaixo do céu, incluindo nascimento e morte, plantio e colheita, cura e ferimento, pranto e riso, entre outras. Essas alternâncias na vida são uma parte inerente da experiência humana.

Ele observa que Deus impôs ao homem um trabalho árduo como parte de sua jornada na Terra. No entanto, o autor reconhece a beleza do trabalho e a importância de encontrar alegria e satisfação nele. Também enfatiza que Deus colocou a eternidade no coração do homem, despertando nele uma busca pelo significado e pelo entendimento das obras divinas.

O autor reflete sobre a inescrutabilidade das ações de Deus e como elas transcendem a compreensão humana. Ele conclui que tudo o que Deus faz é eterno, e os seres humanos devem temê-Lo. O autor também observa a aparente injustiça e maldade que prevalecem no mundo, mas acredita que, no final, Deus julgará o justo e o perverso, e há um tempo designado para cada propósito e obra.

Além disso, o autor compara a mortalidade humana à dos animais, destacando a igualdade no destino final de ambos. Todos compartilham o mesmo destino, retornando ao pó de onde vieram. O autor questiona se existe alguma diferença no destino final do fôlego de vida entre os seres humanos e os animais.

No final, o autor conclui que não há nada melhor do que encontrar alegria nas obras que realizamos durante nossa vida, pois essa é a recompensa que recebemos. Ele reconhece a limitação da compreensão humana diante dos desígnios divinos e destaca a importância de aproveitar o presente, pois o futuro é incerto e misterioso.

———

Eclesiastes 3

Tempo para tudo

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu:

há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou;

tempo de matar e tempo de curar; tempo de derribar e tempo de edificar;

tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar de alegria;

tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar;

tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora;

tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar;

tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz.

O homem não conhece o seu tempo determinado

Que proveito tem o trabalhador naquilo com que se afadiga?

10 Vi o trabalho que Deus impôs aos filhos dos homens, para com ele os afligir.

11 Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim.

12 Sei que nada há melhor para o homem do que regozijar-se e levar vida regalada;

13 e também que é dom de Deus que possa o homem comer, beber e desfrutar o bem de todo o seu trabalho.

14 Sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe pode acrescentar e nada lhe tirar; e isto faz Deus para que os homens temam diante dele.

15 O que é já foi, e o que há de ser também já foi; Deus fará renovar-se o que se passou.

Semelhança aparente na morte entre homens e animais

16 Vi ainda debaixo do sol que no lugar do juízo reinava a maldade e no lugar da justiça, maldade ainda.

17 Então, disse comigo: Deus julgará o justo e o perverso; pois há tempo para todo propósito e para toda obra.

18 Disse ainda comigo: é por causa dos filhos dos homens, para que Deus os prove, e eles vejam que são em si mesmos como os animais.

19 Porque o que sucede aos filhos dos homens sucede aos animais; o mesmo lhes sucede: como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego de vida, e nenhuma vantagem tem o homem sobre os animais; porque tudo é vaidade.

20 Todos vão para o mesmo lugar; todos procedem do pó e ao pó tornarão.

21 Quem sabe se o fôlego de vida dos filhos dos homens se dirige para cima e o dos animais para baixo, para a terra?

22 Pelo que vi não haver coisa melhor do que alegrar-se o homem nas suas obras, porque essa é a sua recompensa; quem o fará voltar para ver o que será depois dele?

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Salmos 38.21

Estudo Salmos 38 – Arrependimento do Pecador

No Salmos 38, o salmista expressa sua angústia física e emocional devido a uma doença, provavelmente física. Ele clama por socorro e misericórdia, reconhecendo que a sua doença é resultado do seu pecado. O salmista também descreve a rejeição e a solidão que ele sente devido à sua doença. Ele

Salmos 63.4

Estudo Salmos 63 – O Louvor à Deus

O Salmo 63 é uma oração de Davi enquanto estava no deserto de Judá. Ele expressa sua sede e desejo por Deus, reconhecendo-o como a fonte de sua vida e salvação. Davi começa o salmo com uma declaração de sua busca por Deus e como sua alma tem sede dele

Temas

  » Alegria

  » Amizade

  » Amor

  » Fé e Motivação

  » Felicitações

  » Liderança

  » Pais e Filhos

  » Paz

  » Provérbios

  » Reflexão

  » Salmos

Receba inspiração no seu Email

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial