Estudo Mateus 16 – O Discípulo de Cristo Deve Levar a sua Cruz

Mateus 16.26A

Neste capítulo de Mateus 16, encontramos vários eventos significativos na vida de Jesus e seus ensinamentos aos discípulos.

Inicialmente, os fariseus e os saduceus pedem a Jesus um sinal do céu para testá-lo, mas ele os repreende por não serem capazes de discernir os sinais dos tempos.

Jesus afirma que uma geração má e adúltera busca sinais, mas nenhum será dado, exceto o sinal de Jonas, referindo-se à sua própria morte e ressurreição.

Em seguida, Jesus adverte seus discípulos para se acautelarem do fermento dos fariseus e dos saduceus, não se referindo ao pão material, mas à doutrina deles. Ele lembra os discípulos de como alimentou multidões com poucos pães, ilustrando seu poder divino.

Um momento importante ocorre quando Jesus pergunta aos discípulos quem eles pensam que ele é. Pedro, em nome dos outros, reconhece Jesus como o Cristo, o Filho do Deus vivo, e Jesus elogia sua resposta, afirmando que isso foi revelado pelo Pai celestial. Ele também declara que edificará sua igreja sobre esta confissão de fé.

No entanto, Jesus começa a revelar aos discípulos que ele deve seguir para Jerusalém, sofrer nas mãos dos líderes religiosos, ser morto e ressuscitar no terceiro dia. Pedro tenta dissuadi-lo, mas Jesus o repreende, chamando-o de Satanás e enfatizando a importância de se concentrar nas coisas de Deus, não nas dos homens.

Finalmente, Jesus ensina sobre o custo do discipulado, exortando seus seguidores a negarem a si mesmos, tomarem suas cruzes e o seguirem. Ele adverte que aqueles que buscam salvar suas vidas as perderão, mas quem estiver disposto a perder sua vida por sua causa a encontrará. Jesus também fala sobre sua futura vinda na glória, quando retribuirá a cada um de acordo com suas obras.

Este capítulo de Mateus 16 nos oferece uma visão abrangente dos ensinamentos e desafios enfrentados pelos discípulos enquanto seguiam Jesus e a importância da confissão de fé em Cristo como o Filho de Deus.

———

Mateus 16

Os fariseus e os saduceus pedem um sinal do céu

Aproximando-se os fariseus e os saduceus, tentando-o, pediram-lhe que lhes mostrasse um sinal vindo do céu.

Ele, porém, lhes respondeu: Chegada a tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está avermelhado;

e, pela manhã: Hoje, haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Sabeis, na verdade, discernir o aspecto do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos?

Uma geração má e adúltera pede um sinal; e nenhum sinal lhe será dado, senão o de Jonas. E, deixando-os, retirou-se.

O fermento dos fariseus e dos saduceus

Ora, tendo os discípulos passado para o outro lado, esqueceram-se de levar pão.

E Jesus lhes disse: Vede e acautelai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus.

Eles, porém, discorriam entre si, dizendo: É porque não trouxemos pão.

Percebendo-o Jesus, disse: Por que discorreis entre vós, homens de pequena fé, sobre o não terdes pão?

Não compreendeis ainda, nem vos lembrais dos cinco pães para cinco mil homens e de quantos cestos tomastes?

10 Nem dos sete pães para os quatro mil e de quantos cestos tomastes?

11 Como não compreendeis que não vos falei a respeito de pães? E sim: acautelai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus.

12 Então, entenderam que não lhes dissera que se acautelassem do fermento de pães, mas da doutrina dos fariseus e dos saduceus.

A confissão de Pedro

13 Indo Jesus para os lados de Cesareia de Filipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do Homem?

14 E eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou algum dos profetas.

15 Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou?

16 Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.

17 Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.

18 Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

19 Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares na terra terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra terá sido desligado nos céus.

20 Então, advertiu os discípulos de que a ninguém dissessem ser ele o Cristo.

Jesus prediz a sua morte e ressurreição

21 Desde esse tempo, começou Jesus Cristo a mostrar a seus discípulos que lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes e dos escribas, ser morto e ressuscitado no terceiro dia.

22 E Pedro, chamando-o à parte, começou a reprová-lo, dizendo: Tem compaixão de ti, Senhor; isso de modo algum te acontecerá.

23 Mas Jesus, voltando-se, disse a Pedro: Arreda, Satanás! Tu és para mim pedra de tropeço, porque não cogitas das coisas de Deus, e sim das dos homens.

O discípulo de Cristo deve levar a sua cruz

24 Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me.

25 Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por minha causa achá-la-á.

26 Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?

27 Porque o Filho do Homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos, e, então, retribuirá a cada um conforme as suas obras.

28 Em verdade vos digo que alguns há, dos que aqui se encontram, que de maneira nenhuma passarão pela morte até que vejam vir o Filho do Homem no seu reino.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Salmos 146.3

Estudo Salmos 146 – A Grandeza e A Bondade de Deus

O livro de Salmos é uma coleção de poemas e cânticos encontrados no Antigo Testamento da Bíblia. O Salmo 146 é um dos muitos Salmos que celebram a grandeza e a bondade de Deus. Neste Salmo, o autor expressa sua confiança e louvor a Deus, enfatizando Sua fidelidade e poder.

Mateus 4.4

Estudo Mateus 4 – A Resistência de Jesus às Tentações

Mateus 4 descreve um período crucial na vida de Jesus, marcado por tentações no deserto. Após um jejum de quarenta dias, Ele enfrenta Satanás, que tenta desviá-Lo de Seu propósito divino. As tentações abordam aspectos fundamentais da natureza humana, como a fome, a busca por poder e a confiança em

Salmos 43.3

Salmos 43.3

Salmos 43 3 Envia a tua luz e a tua verdade, para que me guiem e me levem ao teu santo monte e aos teus tabernáculos.  

Eclesiastes 1.9

Estudo Esclesiastes 1 – A Vaidade da Vida Humana

O livro de Eclesiastes, escrito pelo Pregador, filho de Davi e rei de Jerusalém, é uma profunda meditação sobre a natureza efêmera e fútil da vida humana. Começa com uma declaração impactante: “Vaidade de vaidades, diz o Pregador; vaidade de vaidades, tudo é vaidade.” Essas palavras ressoam ao longo do

Temas

  » Alegria

  » Amizade

  » Amor

  » Fé e Motivação

  » Felicitações

  » Liderança

  » Pais e Filhos

  » Paz

  » Provérbios

  » Reflexão

  » Salmos

Receba inspiração no seu Email

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial