Estudo Mateus 22 – Os Ensinamentos de Cristo Jesus

Mateus 22.21

No capítulo 22 do livro de Mateus, encontramos uma série de ensinamentos e interações de Jesus com diferentes grupos de pessoas.

Primeiro, ele conta a parábola das bodas, onde compara o reino dos céus a um rei que celebrou as bodas de seu filho. Os convidados originais se recusam a comparecer, e o rei convida pessoas das estradas para preencher o banquete, mas um homem sem veste nupcial é expulso (versículos 1-14).

Depois, os fariseus e herodianos tentam enredar Jesus com uma pergunta sobre pagar tributo a César, mas Jesus lhes responde sabiamente para dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus (versículos 15-22).

Em seguida, os saduceus questionam Jesus sobre a ressurreição e apresentam um cenário hipotético com uma mulher que teve sete maridos. Jesus explica que na ressurreição, as relações matrimoniais não são as mesmas que na Terra e que Deus é o Deus dos vivos (versículos 23-33).

Os fariseus voltam a testar Jesus, e um deles pergunta sobre o maior mandamento na Lei. Jesus responde que o maior mandamento é amar a Deus com todo o coração e amar o próximo como a si mesmo, destacando que toda a Lei e os Profetas dependem desses dois mandamentos (versículos 34-40).

Por fim, Jesus questiona os fariseus sobre o Messias, referindo-se a uma passagem das Escrituras em que Davi chama o Cristo de Senhor, apesar de ser seu filho.

Essa questão deixa os fariseus sem resposta, e eles não se atrevem a fazer mais perguntas a Jesus (versículos 41-46). Estes ensinamentos e interações mostram a sabedoria e autoridade de Jesus em lidar com diversas questões religiosas e morais.

———

Mateus 22

A parábola das bodas

De novo, entrou Jesus a falar por parábolas, dizendo-lhes:

O reino dos céus é semelhante a um rei que celebrou as bodas de seu filho.

Então, enviou os seus servos a chamar os convidados para as bodas; mas estes não quiseram vir.

Enviou ainda outros servos, com esta ordem: Dizei aos convidados: Eis que já preparei o meu banquete; os meus bois e cevados já foram abatidos, e tudo está pronto; vinde para as bodas.

Eles, porém, não se importaram e se foram, um para o seu campo, outro para o seu negócio;

e os outros, agarrando os servos, os maltrataram e mataram.

O rei ficou irado e, enviando as suas tropas, exterminou aqueles assassinos e lhes incendiou a cidade.

Então, disse aos seus servos: Está pronta a festa, mas os convidados não eram dignos.

Ide, pois, para as encruzilhadas dos caminhos e convidai para as bodas a quantos encontrardes.

10 E, saindo aqueles servos pelas estradas, reuniram todos os que encontraram, maus e bons; e a sala do banquete ficou repleta de convidados.

11 Entrando, porém, o rei para ver os que estavam à mesa, notou ali um homem que não trazia veste nupcial

12 e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui sem veste nupcial? E ele emudeceu.

13 Então, ordenou o rei aos serventes: Amarrai-o de pés e mãos e lançai-o para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes.

14 Porque muitos são chamados, mas poucos, escolhidos.

A questão do tributo

15 Então, retirando-se os fariseus, consultaram entre si como o surpreenderiam em alguma palavra.

16 E enviaram-lhe discípulos, juntamente com os herodianos, para dizer-lhe: Mestre, sabemos que és verdadeiro e que ensinas o caminho de Deus, de acordo com a verdade, sem te importares com quem quer que seja, porque não olhas a aparência dos homens.

17 Dize-nos, pois: que te parece? É lícito pagar tributo a César ou não?

18 Jesus, porém, conhecendo-lhes a malícia, respondeu: Por que me experimentais, hipócritas?

19 Mostrai-me a moeda do tributo. Trouxeram-lhe um denário.

20 E ele lhes perguntou: De quem é esta efígie e inscrição?

21 Responderam: De César. Então, lhes disse: Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

22 Ouvindo isto, se admiraram e, deixando-o, foram-se.

Os saduceus e a ressurreição

23 Naquele dia, aproximaram-se dele alguns saduceus, que dizem não haver ressurreição, e lhe perguntaram:

24 Mestre, Moisés disse:

Se alguém morrer, não tendo filhos, seu irmão casará com a viúva e suscitará descendência ao falecido.

25 Ora, havia entre nós sete irmãos. O primeiro, tendo casado, morreu e, não tendo descendência, deixou sua mulher a seu irmão;

26 o mesmo sucedeu com o segundo, com o terceiro, até ao sétimo;

27 depois de todos eles, morreu também a mulher.

28 Portanto, na ressurreição, de qual dos sete será ela esposa? Porque todos a desposaram.

29 Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.

30 Porque, na ressurreição, nem casam, nem se dão em casamento; são, porém, como os anjos no céu.

31 E, quanto à ressurreição dos mortos, não tendes lido o que Deus vos declarou:

32 Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó?

Ele não é Deus de mortos, e sim de vivos.

33 Ouvindo isto, as multidões se maravilhavam da sua doutrina.

O grande mandamento

34 Entretanto, os fariseus, sabendo que ele fizera calar os saduceus, reuniram-se em conselho.

35 E um deles, intérprete da Lei, experimentando-o, lhe perguntou:

36 Mestre, qual é o grande mandamento na Lei?

37 Respondeu-lhe Jesus:

Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.

38 Este é o grande e primeiro mandamento.

39 O segundo, semelhante a este, é:

Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

40 Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.

O Cristo, Filho de Davi

41 Reunidos os fariseus, interrogou-os Jesus:

42 Que pensais vós do Cristo? De quem é filho? Responderam-lhe eles: De Davi.

43 Replicou-lhes Jesus: Como, pois, Davi, pelo Espírito, chama-lhe Senhor, dizendo:

44 Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés?

45 Se Davi, pois, lhe chama Senhor, como é ele seu filho?

46 E ninguém lhe podia responder palavra, nem ousou alguém, a partir daquele dia, fazer-lhe perguntas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Salmos 62.1

Estudo Salmos 62 – De Deus vem a minha salvação

O Salmo 62 é um salmo de confiança em Deus e de reconhecimento de sua soberania e poder. O salmista começa declarando que somente em Deus ele encontra descanso e salvação. Ele reconhece que todos os homens são vaidade e não têm poder para salvar, por isso coloca toda a

Salmos 5.8

Estudo Salmos 5 – Proteção contra os ímpios

O mundo em que vivemos está repleto de iniquidade, onde o mal e a mentira imperam. Porém há opção para os que buscam a Deus, pois Ele traz proteção e alegria para os justos. Assim, o nosso principal desejo deve ser sempre estar nos caminhos do Senhor. Este texto é

Salmos 22.19

Estudo Salmos 22 – Sofrimento e vitória do Messias

O Salmos 22 faz parte do conjunto de capítulos chamado Salmos Messiânicos, que tratam de assuntos gerais, mas que se aplicam a Cristo. Neste capítulo, algumas passagens correspondem quase que exatamente aos momentos anteriores da crucificação de Jesus Cristo. O início do texto possui a expressão terrível que Jesus bradou

Salmos 89.5

Estudo Salmos 89 – Celebração à Fidelidade de Deus

O Salmo 89 é um hino de louvor e adoração a Deus, que exalta a sua fidelidade e bondade para com o seu povo. O salmista começa declarando a sua confiança em Deus, afirmando que ele é o Senhor de toda a terra e que a sua misericórdia e verdade

Temas

  » Alegria

  » Amizade

  » Amor

  » Fé e Motivação

  » Felicitações

  » Liderança

  » Pais e Filhos

  » Paz

  » Provérbios

  » Reflexão

  » Salmos

Receba inspiração no seu Email

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial