Estudo Salmos 110 – O Reinado de Jesus Cristo

Salmos 110.1

O Salmo 110 é um dos mais importantes do Antigo Testamento, especialmente para os cristãos, pois é frequentemente citado no Novo Testamento. É um salmo messiânico, que fala sobre o futuro reinado de um rei, que governará com poder divino e justiça.

O salmo começa com uma profecia do Senhor a um rei, que será exaltado acima de todos os outros reis e governará com o poder de Deus. Esse rei também será um sacerdote, um descendente de Melquisedeque, que oferecerá sacrifícios a Deus em nome do povo. Essa combinação única de realeza e sacerdócio é uma figura de um novo tipo de governante que viria um dia, e é vista como uma profecia de Jesus Cristo, que é tanto Rei quanto Sacerdote, e que governa com poder divino e justiça.

O salmo continua com uma descrição do rei messiânico subjugando seus inimigos e estabelecendo seu domínio sobre a terra. Ele é chamado de “Senhor” pelo próprio Deus, indicando que ele é divino e recebeu poder divino para governar. Isso também é visto como uma profecia de Jesus, que subjugou a morte e o pecado e agora reina como Senhor sobre todas as coisas.

Finalmente, o salmo termina com uma declaração da vitória final do rei messiânico sobre seus inimigos. Ele julgará as nações e governará com justiça, trazendo paz e segurança ao mundo. Essa profecia é vista como uma promessa de que um dia, o reino de Deus será estabelecido na terra, e a justiça e a paz reinarão para sempre.

Em resumo, o Salmo 110 é uma profecia messiânica que descreve um governante divino e justo que um dia virá para estabelecer seu domínio sobre a terra. Para os cristãos, esse rei é visto como uma figura de Jesus Cristo, que governa com poder divino e justiça e que um dia retornará para julgar as nações e estabelecer o reino de Deus na terra.

———

Salmos 110

1 Disse o Senhor ao meu senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés.

2 O Senhor enviará de Sião o cetro do seu poder, dizendo: Domina entre os teus inimigos.

3 Apresentar-se-á voluntariamente o teu povo, no dia do teu poder; com santos ornamentos, como o orvalho emergindo da aurora, serão os teus jovens.

4 O Senhor jurou e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.

5 O Senhor, à tua direita, no dia da sua ira, esmagará os reis.

6 Ele julga entre as nações; enche-as de cadáveres; esmagará cabeças por toda a terra.

7 De caminho, bebe na torrente e passa de cabeça erguida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Salmos 2.7

Estudo Salmos 2 – O reinado do ungido de Deus

Essa passagem ilustra como a humanidade se rebela contra Deus e contra seu Filho, Jesus Cristo. Porém, fica claro o poder e a onipotência de Deus, que está no controle de absolutamente tudo. E como ele passa toda a sua autoridade para o seu filho, Jesus. Perante o qual, toda

Salmos 58.11

Estudo Salmos 58 – A esperança do justo

O Salmo 58 é um poema lírico que aborda a justiça divina e a punição dos ímpios. O salmista começa clamando aos juízes para julgar de maneira justa e punir os ímpios que não têm temor a Deus. Ele descreve a maldade dos ímpios como algo que começa desde o

Temas

Receba inspiração no seu Email

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial