Estudo Esclesiastes 6 – A Busca Incessante por Prazeres e Desejos Materiais

Eclesiastes 6.8

No Capítulo 6 do livro de Eclesiastes, o autor contempla as complexidades e desafios da vida humana sob o sol. Ele identifica um mal que aflige as pessoas, onde algumas são agraciadas com riquezas, bens e honra, mas não conseguem desfrutar desses favores divinos, pois, de alguma forma, eles acabam sendo desfrutados por estranhos. Isso é visto como uma situação vã e angustiante, que questiona a justiça divina.

O autor também considera a situação de alguém que tem uma longa vida e muitos filhos, mas ainda não encontra satisfação em sua existência. Nesse contexto, ele compara essa pessoa infeliz a um aborto, sugerindo que a morte precoce pode ser preferível à persistente insatisfação da vida. Ele destaca a escuridão e o desconhecimento do aborto, contrastando com a persistente insatisfação do homem.

Além disso, o autor ressalta a constante insaciabilidade do ser humano, onde mesmo quando trabalha arduamente, seu apetite nunca é plenamente satisfeito. Ele questiona a vantagem da sabedoria sobre a tolice e pondera sobre a busca incessante por prazeres e desejos materiais, comparando-a ao ato fútil de perseguir o vento.

Por fim, o autor reflete sobre a limitação do conhecimento humano em relação ao propósito da vida e ao que o futuro reserva. Ele conclui que a vida humana é efêmera e cheia de incertezas, e que é difícil determinar o que é verdadeiramente bom para o homem.

Essas reflexões levam à necessidade de buscar um significado mais profundo na vida, que vai além das conquistas materiais e das preocupações mundanas, reconhecendo a sua transitoriedade.

———

Eclesiastes 6

1 Há um mal que vi debaixo do sol e que pesa sobre os homens:
2 o homem a quem Deus conferiu riquezas, bens e honra, e nada lhe falta de tudo quanto a sua alma deseja, mas Deus não lhe concede que disso coma; antes, o estranho o come; também isto é vaidade e grave aflição.
3 Se alguém gerar cem filhos e viver muitos anos, até avançada idade, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é mais feliz do que ele;
4 pois debalde vem o aborto e em trevas se vai, e de trevas se cobre o seu nome;
5 não viu o sol, nada conhece. Todavia, tem mais descanso do que o outro,
6 ainda que aquele vivesse duas vezes mil anos, mas não gozasse o bem. Porventura, não vão todos para o mesmo lugar?
7 Todo trabalho do homem é para a sua boca; e, contudo, nunca se satisfaz o seu apetite.
8 Pois que vantagem tem o sábio sobre o tolo? Ou o pobre que sabe andar perante os vivos?
9 Melhor é a vista dos olhos do que o andar ocioso da cobiça; também isto é vaidade e correr atrás do vento.
10 A tudo quanto há de vir já se lhe deu o nome, e sabe-se o que é o homem, e que não pode contender com quem é mais forte do que ele.
11 É certo que há muitas coisas que só aumentam a vaidade, mas que aproveita isto ao homem?
12 Pois quem sabe o que é bom para o homem durante os poucos dias da sua vida de vaidade, os quais gasta como sombra? Quem pode declarar ao homem o que será depois dele debaixo do sol?

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Salmos 37.4

Salmos 37.4

Salmos 37.4 Agrada-te do Senhor , e ele satisfará os desejos do teu coração.

Salmos 32.10

Estudo Salmos 32 – A bem-aventurança de quem recebe o perdão

Neste capítulo, Davi expressa o quanto será alegre a vida de quem tem os seus pecados perdoados e cobertos por Deus. A expressão bem-aventurado se refere à alegria intensa, que o homem com sua iniquidade perdoada recebe (Salmos 32.1 e 32.2). Uma diferença clara é estabelecida entre o homem que

Mateus 3.16

Estudo Mateus 3 – O Batismo de Jesus

Mateus 3 descreve o ministério de João Batista, o precursor de Jesus. João pregava no deserto da Judeia, chamando as pessoas ao arrependimento e batizando-as nas águas do rio Jordão. Ele alertava sobre a chegada do Reino dos Céus e advertia contra a hipocrisia dos fariseus e saduceus que vinham

Provérbios 8.34

Estudo Provérbios 8 – Um Hino à Sabedoria

Provérbios 8 é um capítulo da Bíblia que contém um hino à sabedoria. Neste estudo completo, examinaremos o capítulo em parágrafos, destacando seus principais temas e ensinamentos. O capítulo começa com a sabedoria personificada, chamando a atenção das pessoas para si. Ela se apresenta como uma voz que clama nas

Temas

Receba inspiração no seu Email

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial