Estudo Provérbios 23 – A Importância de Exercer Discernimento na Vida

Provérbios 23:17

Esse capítulo enfatiza a importância de exercer discernimento na vida, especialmente em relação aos hábitos alimentares e aos excessos na busca por riquezas materiais.

O texto adverte sobre o perigo de se deixar levar pela cobiça e luxúria, destacando que tais desejos podem levar à autodestruição e ao afastamento dos princípios morais. É incentivada a moderação e o controle dos impulsos para evitar consequências negativas.

Além disso, o capítulo oferece orientações sobre a correção de filhos e a importância de instruí-los desde cedo, a fim de que possam trilhar um caminho de sabedoria e retidão.

Os conselhos presentes em Provérbios 23 também abordam questões sociais, como a forma como devemos tratar os menos favorecidos e ser compassivos com aqueles que estão em situações de vulnerabilidade.

De modo geral, esse capítulo destaca a relevância do autocontrole, da generosidade e da busca por conhecimento para alcançar uma vida equilibrada e com propósito. Os princípios presentes em Provérbios 23 continuam a ser valiosos guias para orientar pessoas em suas escolhas e atitudes no mundo atual.

———

¹ Quando te assentares a comer com um governador, atenta bem para aquele que está diante de ti;
² mete uma faca à tua garganta, se és homem glutão.
³ Não cobices os seus delicados manjares, porque são comidas enganadoras.
⁴ Não te fatigues para seres rico; não apliques nisso a tua inteligência.
⁵ Porventura, fitarás os olhos naquilo que não é nada? Pois, certamente, a riqueza fará para si asas, como a águia que voa pelos céus.
⁶ Não comas o pão do invejoso, nem cobices os seus delicados manjares.
⁷ Porque, como imagina em sua alma, assim ele é; ele te diz: Come e bebe; mas o seu coração não está contigo.
⁸ Vomitarás o bocado que comeste e perderás as tuas suaves palavras.
⁹ Não fales aos ouvidos do insensato, porque desprezará a sabedoria das tuas palavras.
¹⁰ Não removas os marcos antigos, nem entres nos campos dos órfãos,
¹¹ porque o seu Vingador é forte e lhes pleiteará a causa contra ti.
¹² Aplica o coração ao ensino e os ouvidos às palavras do conhecimento.
¹³ Não retires da criança a disciplina, pois, se a fustigares com a vara, não morrerá.
¹⁴ Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno.
¹⁵ Filho meu, se o teu coração for sábio, alegrar-se-á também o meu;
¹⁶ exultará o meu íntimo, quando os teus lábios falarem coisas retas.
¹⁷ Não tenha o teu coração inveja dos pecadores; antes, no temor do Senhor perseverarás todo dia.
¹⁸ Porque deveras haverá bom futuro; não será frustrada a tua esperança.
¹⁹ Ouve, filho meu, e sê sábio; guia retamente no caminho o teu coração.
²⁰ Não estejas entre os bebedores de vinho nem entre os comilões de carne.
²¹ Porque o beberrão e o comilão caem em pobreza; e a sonolência vestirá de trapos o homem.
²² Ouve a teu pai, que te gerou, e não desprezes a tua mãe, quando vier a envelhecer.
²³ Compra a verdade e não a vendas; compra a sabedoria, a instrução e o entendimento.
²⁴ Grandemente se regozijará o pai do justo, e quem gerar a um sábio nele se alegrará.
²⁵ Alegrem-se teu pai e tua mãe, e regozije-se a que te deu à luz.
²⁶ Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos se agradem dos meus caminhos.
²⁷ Pois cova profunda é a prostituta, poço estreito, a alheia.
²⁸ Ela, como salteador, se põe a espreitar e multiplica entre os homens os infiéis.
²⁹ Para quem são os ais? Para quem, os pesares? Para quem, as rixas? Para quem, as queixas? Para quem, as feridas sem causa? E para quem, os olhos vermelhos?
³⁰ Para os que se demoram em beber vinho, para os que andam buscando bebida misturada.
³¹ Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente.
³² Pois ao cabo morderá como a cobra e picará como o basilisco.
³³ Os teus olhos verão coisas esquisitas, e o teu coração falará perversidades.
³⁴ Serás como o que se deita no meio do mar e como o que se deita no alto do mastro
³⁵ e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando despertarei? Então, tornarei a beber.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Marcos 5.34

Estudo Marcos 5 – A Fé que Salva

Neste capítulo de Marcos 5, Jesus e seus discípulos atravessam o mar e chegam à terra dos gerasenos. Logo ao desembarcarem, um homem possesso por um espírito imundo se aproxima deles. Este homem vivia nos sepulcros e era tão forte que ninguém conseguia prendê-lo, mesmo com grilhões e cadeias. Ele

Salmos 56

Estudo Salmos 56 – Oração de confiança

O Salmo 56 é uma oração de confiança e súplica dirigida a Deus em meio às dificuldades. O salmista expressa seu medo diante de seus inimigos, mas reafirma sua confiança em Deus como seu protetor e libertador. Ele clama a Deus para que o livre de seus opressores e confia

Provérbios 24.1-2

Estudo Provérbios 24 – Não Tenham Inveja dos Ímpios

Este capítulo é uma coleção de sabedoria e conselhos práticos, destinados a guiar os leitores em suas decisões e comportamentos para uma vida virtuosa e bem-sucedida. O capítulo começa exortando os leitores a não terem inveja dos ímpios, que aparentemente prosperam, mas cujo fim é a destruição. Ao invés disso,

Temas

  » Alegria

  » Amizade

  » Amor

  » Fé e Motivação

  » Felicitações

  » Liderança

  » Pais e Filhos

  » Paz

  » Provérbios

  » Reflexão

  » Salmos

Receba inspiração no seu Email

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial