Estudo Salmos 115 – À Deus dá Glória

Salmos 115.1

O Salmo 115 é um cântico de louvor a Deus que expressa a confiança e a gratidão do salmista pelo poder e bondade do Senhor. O salmo começa com a declaração de que a glória deve ser dada a Deus, pois Ele é fiel e verdadeiro. O salmista contrasta a Deus com os ídolos feitos pelas mãos dos homens, que não têm vida nem poder para agir.

O salmista ressalta que aqueles que confiam nos ídolos acabam se tornando como eles, sem vida e sem força. Em contrapartida, o Senhor é o Deus vivo que age em favor de Seu povo, mostrando Sua fidelidade e amor constantemente. O salmista conclui que os fiéis confiam no Senhor e esperam em Sua ajuda, pois Ele é o seu refúgio e proteção.

Este salmo reflete a crença fundamental de que Deus é o criador do universo e o governante de toda a terra. Ele é digno de louvor e adoração por Sua bondade e poder, e é a fonte de esperança e segurança para aqueles que confiam Nele. O salmo também nos lembra que não há outro deus além do Senhor, e que aqueles que colocam sua confiança em outros deuses ou ídolos acabarão desapontados.

Além disso, o salmo é um chamado para todos nós confiarmos no Senhor em todas as circunstâncias de nossa vida, independentemente do que esteja acontecendo ao nosso redor. O salmista nos lembra que Deus é nosso refúgio e força, e que podemos confiar Nele para nos proteger e nos sustentar em todas as situações.

Em resumo, o Salmo 115 é um cântico de louvor a Deus, que nos lembra da importância de confiar Nele em todas as situações. Ele nos lembra que Deus é a fonte de nossa esperança e segurança, e que só Ele merece nossa adoração e louvor. Podemos encontrar conforto e força em Deus, pois Ele é o nosso refúgio e proteção.

———

Salmos 115

1 Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao teu nome dá glória, por amor da tua misericórdia e da tua fidelidade.

2 Por que diriam as nações: Onde está o Deus deles?

3 No céu está o nosso Deus e tudo faz como lhe agrada.

4 Prata e ouro são os ídolos deles, obra das mãos de homens.

5 Têm boca e não falam; têm olhos e não veem;

6 têm ouvidos e não ouvem; têm nariz e não cheiram.

7 Suas mãos não apalpam; seus pés não andam; som nenhum lhes sai da garganta.

8 Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem e quantos neles confiam.

9 Israel confia no Senhor ; ele é o seu amparo e o seu escudo.

10 A casa de Arão confia no Senhor ; ele é o seu amparo e o seu escudo.

11 Confiam no Senhor os que temem o Senhor ; ele é o seu amparo e o seu escudo.

12 De nós se tem lembrado o Senhor ; ele nos abençoará; abençoará a casa de Israel, abençoará a casa de Arão.

13 Ele abençoa os que temem o Senhor , tanto pequenos como grandes.

14 O Senhor vos aumente bênçãos mais e mais, sobre vós e sobre vossos filhos.

15 Sede benditos do Senhor , que fez os céus e a terra.

16 Os céus são os céus do Senhor , mas a terra, deu-a ele aos filhos dos homens.

17 Os mortos não louvam o Senhor , nem os que descem à região do silêncio.

18 Nós, porém, bendiremos o Senhor , desde agora e para sempre. Aleluia!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Mateus 6.33

Estudo Mateus 6 – Busque Primeiro o Reino

Mateus 6 abrange diversas instruções valiosas de Jesus, principalmente no contexto do Sermão da Montanha. Ele começa abordando a prática da justiça, destacando a importância de não realizar boas ações com o objetivo de ser visto pelos outros, enfatizando que a recompensa verdadeira vem de Deus. Jesus discute também a

Salmos 5.8

Estudo Salmos 5 – Proteção contra os ímpios

O mundo em que vivemos está repleto de iniquidade, onde o mal e a mentira imperam. Porém há opção para os que buscam a Deus, pois Ele traz proteção e alegria para os justos. Assim, o nosso principal desejo deve ser sempre estar nos caminhos do Senhor. Este texto é

Estudo Salmos 72 – Oração pelo rei justo

O Salmo 72 é um poema que celebra a justiça e a bondade de Deus, e pede por um rei justo e sábio que governe com equidade e compaixão. O salmista começa pedindo a Deus que conceda ao rei a sabedoria e a justiça necessárias para governar com retidão e

Apocalipse 12.10

Estudo Apocalipse 12 – A Vitória de Cristo e do seu Povo

O capítulo 12 do Livro do Apocalipse, na Bíblia, descreve uma visão altamente simbólica e apocalíptica. O texto começa com uma mulher grávida vestida de sol, que é interpretada como a representação da Igreja ou da Virgem Maria. Ela está prestes a dar à luz um filho, simbolizando Jesus Cristo.

Temas

Receba inspiração no seu Email

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial