Estudo Mateus 14 – O Poder e a Compaixão de Jesus

Mateus 14.25

Neste capítulo de Mateus 14, podemos observar uma série de eventos significativos. Primeiramente, é narrada a morte de João Batista, profeta que havia sido aprisionado por Herodes devido às suas críticas ao relacionamento ilícito do tetrarca com Herodias, a esposa de seu irmão.

Herodes, ao ouvir falar de Jesus, teme que seja João Batista ressuscitado, pois ele era considerado um profeta pelo povo. A narrativa descreve como Herodias, influenciada por sua filha, pede a cabeça de João Batista em um banquete, levando à sua decapitação.

Em seguida, o relato se volta para a primeira multiplicação de pães e peixes realizada por Jesus. Ele se retira para um lugar deserto, mas as multidões o seguem, e Jesus se compadece delas, curando os enfermos.

Quando a noite se aproxima e a multidão está com fome, os discípulos pedem que Jesus as dispense para que comprem comida, mas Jesus os desafia a darem de comer às pessoas com os poucos recursos disponíveis.

Ele abençoa cinco pães e dois peixes, multiplicando-os miraculosamente para alimentar cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças. A abundância é tão grande que ainda sobram doze cestos cheios de pedaços.

A narrativa continua com o episódio em que Jesus anda sobre as águas do mar. Após enviar seus discípulos em um barco para o outro lado do mar, ele sobe a um monte para orar.

Durante a noite, o barco enfrenta dificuldades devido ao vento contrário, e Jesus se aproxima caminhando sobre as águas. Isso causa espanto e medo nos discípulos, que inicialmente o confundem com um fantasma.

Pedro pede para ir até Jesus sobre as águas, mas, ao notar o vento, começa a afundar e pede socorro. Jesus o salva e repreende sua falta de fé. Quando ambos sobem no barco, o vento cessa, e os discípulos reconhecem Jesus como o Filho de Deus.

Por fim, o capítulo termina com a chegada de Jesus e seus discípulos a Genesaré. As pessoas da região trazem seus enfermos, pedindo apenas para tocar na orla das vestes de Jesus, e todos os que o fazem são curados.

Esse capítulo de Mateus demonstra a compaixão de Jesus, seu poder sobre a natureza e sua revelação como o Filho de Deus.

———

Mateus 14

A morte de João Batista

Por aquele tempo, ouviu o tetrarca Herodes a fama de Jesus

e disse aos que o serviam: Este é João Batista; ele ressuscitou dos mortos, e, por isso, nele operam forças miraculosas.

Porque Herodes, havendo prendido e atado a João, o metera no cárcere, por causa de Herodias, mulher de Filipe, seu irmão;

pois João lhe dizia: Não te é lícito possuí-la.

E, querendo matá-lo, temia o povo, porque o tinham como profeta.

Ora, tendo chegado o dia natalício de Herodes, dançou a filha de Herodias diante de todos e agradou a Herodes.

Pelo que prometeu, com juramento, dar-lhe o que pedisse.

Então, ela, instigada por sua mãe, disse: Dá-me, aqui, num prato, a cabeça de João Batista.

Entristeceu-se o rei, mas, por causa do juramento e dos que estavam com ele à mesa, determinou que lha dessem;

10 e deu ordens e decapitou a João no cárcere.

11 Foi trazida a cabeça num prato e dada à jovem, que a levou a sua mãe.

12 Então, vieram os seus discípulos, levaram o corpo e o sepultaram; depois, foram e o anunciaram a Jesus.

A primeira multiplicação de pães e peixes

13 Jesus, ouvindo isto, retirou-se dali num barco, para um lugar deserto, à parte; sabendo-o as multidões, vieram das cidades seguindo-o por terra.

1Desembarcando, viu Jesus uma grande multidão, compadeceu-se dela e curou os seus enfermos.

15 Ao cair da tarde, vieram os discípulos a Jesus e lhe disseram: O lugar é deserto, e vai adiantada a hora; despede, pois, as multidões para que, indo pelas aldeias, comprem para si o que comer.

16 Jesus, porém, lhes disse: Não precisam retirar-se; dai-lhes, vós mesmos, de comer.

17 Mas eles responderam: Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes.

18 Então, ele disse: Trazei-mos.

19 E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a relva, tomando os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou. Depois, tendo partido os pães, deu-os aos discípulos, e estes, às multidões.

20 Todos comeram e se fartaram; e dos pedaços que sobejaram recolheram ainda doze cestos cheios.

21 E os que comeram foram cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças.

Jesus anda por sobre o mar

22 Logo a seguir, compeliu Jesus os discípulos a embarcar e passar adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia as multidões.

23 E, despedidas as multidões, subiu ao monte, a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde, lá estava ele, só.

24 Entretanto, o barco já estava longe, a muitos estádios da terra, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário.

25 Na quarta vigília da noite, foi Jesus ter com eles, andando por sobre o mar.

26 E os discípulos, ao verem-no andando sobre as águas, ficaram aterrados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo, gritaram.

27 Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais!

28 Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas.

29 E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus.

30 Reparando, porém, na força do vento, teve medo; e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor!

31 E, prontamente, Jesus, estendendo a mão, tomou-o e lhe disse: Homem de pequena fé, por que duvidaste?

32 Subindo ambos para o barco, cessou o vento.

33 E os que estavam no barco o adoraram, dizendo: Verdadeiramente és Filho de Deus!

Jesus em Genesaré

34 Então, estando já no outro lado, chegaram a terra, em Genesaré.

35 Reconhecendo-o os homens daquela terra, mandaram avisar a toda a circunvizinhança e trouxeram-lhe todos os enfermos;

36 e lhe rogavam que ao menos pudessem tocar na orla da sua veste. E todos os que tocaram ficaram sãos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Eclesiastes 1.9

Estudo Esclesiastes 1 – A Vaidade da Vida Humana

O livro de Eclesiastes, escrito pelo Pregador, filho de Davi e rei de Jerusalém, é uma profunda meditação sobre a natureza efêmera e fútil da vida humana. Começa com uma declaração impactante: “Vaidade de vaidades, diz o Pregador; vaidade de vaidades, tudo é vaidade.” Essas palavras ressoam ao longo do

Provérbios 10.31

Estudo Provérbios 10 – Ensinamentos Sobre a Sabedoria e a Conduta Correta

Provérbios 10 é um capítulo do livro de Provérbios na Bíblia, que oferece uma série de ensinamentos sobre a sabedoria e a conduta correta. Ao longo deste capítulo, encontramos uma variedade de provérbios que abordam diferentes aspectos da vida cotidiana e oferecem conselhos sábios para viver de forma justa e

Temas

Receba inspiração no seu Email

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial