Estudo Salmos 107 – A Bondade de Deus

Salmos 107.13

O Salmo 107 é um poema que celebra a bondade de Deus em relação ao seu povo. O salmista começa destacando a importância de dar graças ao Senhor, pois ele é bom e a sua misericórdia dura para sempre. Em seguida, ele apresenta quatro histórias que ilustram como Deus resgatou o seu povo em momentos de dificuldade.

Na primeira história, o salmista fala sobre aqueles que estavam perdidos no deserto, sem rumo e sem água. Eles clamaram ao Senhor e ele os guiou até uma cidade habitada, onde puderam saciar a sua sede e se estabelecer.

Na segunda história, o salmista fala sobre aqueles que estavam presos em uma prisão por causa dos seus pecados. Eles clamaram ao Senhor e ele os libertou, abrindo as portas da prisão e cortando as correntes que os prendiam.

Na terceira história, o salmista fala sobre aqueles que estavam doentes e sofrendo por causa dos seus pecados. Eles clamaram ao Senhor e ele os curou, livrando-os da morte e da aflição.

Na quarta e última história, o salmista fala sobre aqueles que estavam em alto mar, enfrentando uma tempestade que ameaçava afundar o seu navio. Eles clamaram ao Senhor e ele acalmou as ondas e os levou em segurança até o porto desejado.

Ao final do salmo, o salmista novamente destaca a importância de dar graças ao Senhor por sua bondade e misericórdia, e encoraja todos aqueles que ouvem a sua voz a meditar sobre as maravilhas que Deus tem feito por seu povo ao longo da história.

———

Salmos 107

1 Rendei graças ao Senhor , porque ele é bom, e a sua misericórdia dura para sempre.

2 Digam-no os remidos do Senhor , os que ele resgatou da mão do inimigo

3 e congregou de entre as terras, do Oriente e do Ocidente, do Norte e do mar.

4 Andaram errantes pelo deserto, por ermos caminhos, sem achar cidade em que habitassem.

5 Famintos e sedentos, desfalecia neles a alma.

6 Então, na sua angústia, clamaram ao Senhor , e ele os livrou das suas tribulações.

7 Conduziu-os pelo caminho direito, para que fossem à cidade em que habitassem.

8 Rendam graças ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!

9 Pois dessedentou a alma sequiosa e fartou de bens a alma faminta.

10 Os que se assentaram nas trevas e nas sombras da morte, presos em aflição e em ferros,

11 por se terem rebelado contra a palavra de Deus e haverem desprezado o conselho do Altíssimo,

12 de modo que lhes abateu com trabalhos o coração — caíram, e não houve quem os socorresse.

13 Então, na sua angústia, clamaram ao Senhor, e ele os livrou das suas tribulações.

14 Tirou-os das trevas e das sombras da morte e lhes despedaçou as cadeias.

15 Rendam graças ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!

16 Pois arrombou as portas de bronze e quebrou as trancas de ferro.

17 Os estultos, por causa do seu caminho de transgressão e por causa das suas iniquidades, serão afligidos.

18 A sua alma aborreceu toda sorte de comida, e chegaram às portas da morte.

19 Então, na sua angústia, clamaram ao Senhor , e ele os livrou das suas tribulações.

20 Enviou-lhes a sua palavra, e os sarou, e os livrou do que lhes era mortal.

21 Rendam graças ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!

22 Ofereçam sacrifícios de ações de graças e proclamem com júbilo as suas obras!

23 Os que, tomando navios, descem aos mares, os que fazem tráfico na imensidade das águas,

24 esses veem as obras do Senhor e as suas maravilhas nas profundezas do abismo.

25 Pois ele falou e fez levantar o vento tempestuoso, que elevou as ondas do mar.

26 Subiram até aos céus, desceram até aos abismos; no meio destas angústias, desfalecia-lhes a alma.

27 Andaram, e cambalearam como ébrios, e perderam todo tino.

28 Então, na sua angústia, clamaram ao Senhor , e ele os livrou das suas tribulações.

29 Fez cessar a tormenta, e as ondas se acalmaram.

30 Então, se alegraram com a bonança; e, assim, os levou ao desejado porto.

31 Rendam graças ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!

32 Exaltem-no também na assembleia do povo e o glorifiquem no conselho dos anciãos.

33 Ele converteu rios em desertos e mananciais, em terra seca;

34 terra frutífera, em deserto salgado, por causa da maldade dos seus habitantes.

35 Converteu o deserto em lençóis de água e a terra seca, em mananciais.

36 Estabeleceu aí os famintos, os quais edificaram uma cidade em que habitassem.

37 Semearam campos, e plantaram vinhas, e tiveram fartas colheitas.

38 Ele os abençoou, de sorte que se multiplicaram muito; e o gado deles não diminuiu.

39 Mas tornaram a reduzir-se e foram humilhados pela opressão, pela adversidade e pelo sofrimento.

40 Lança ele o desprezo sobre os príncipes e os faz andar errantes, onde não há caminho.

41 Mas levanta da opressão o necessitado, para um alto retiro, e lhe prospera famílias como rebanhos.

42 Os retos veem isso e se alegram, mas o ímpio por toda parte fecha a boca.

43 Quem é sábio atente para essas coisas e considere as misericórdias do Senhor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Salmos 58.11

Estudo Salmos 58 – A esperança do justo

O Salmo 58 é um poema lírico que aborda a justiça divina e a punição dos ímpios. O salmista começa clamando aos juízes para julgar de maneira justa e punir os ímpios que não têm temor a Deus. Ele descreve a maldade dos ímpios como algo que começa desde o

Apocalipse 4.11A

Estudo Apocalipse 4 – A Soberania de Deus sobre Todas as Coisas

O livro de Apocalipse, capítulo 4, descreve uma visão profética impressionante. Nessa passagem, o autor, o apóstolo João, relata ter sido arrebatado para o céu, onde testemunha uma cena extraordinária. Ele descreve um trono no céu, estabelecido de forma majestosa e rodeado por 24 anciãos vestidos de branco, que representam,

Apocalipse 9.6

Estudo Apocalipse 9 – A Consolação dos Mártires

Neste capítulo, João, o autor do livro, descreve a abertura do quinto e do sexto selo. Quando o quinto selo é aberto, João vê as almas daqueles que foram martirizados por causa de sua fé clamando a Deus por justiça. Eles são consolados com roupas brancas e lhes é dito

Temas

Receba inspiração no seu Email

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial